Oi, sou Mar, e você está lendo as minhas opiniões sobre a vida o universo e tudo mais :)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Mais NÓS, menos EU

Continuando o post anterior...

As pessoas com o tempo cada vez mais se tornam individualistas e acabam pensando apenas em si, não sou idiota, em certo modo não está errado, temos que pensar em nós, nos preocupar com o nosso bem estar, não deixar algum espertinho querer enrolar e nos passar para trás. Mas temos que cuidar, que para com isso, mesmo que sem querer, não acabar nós virando esse espertinho, e querer tirar vantagem de tudo.

Com um exemplo prático fica mais fácil:
Imaginamos um cruzamento, movimentado, possui suas sinaleiras, muito transito. Aqui em Porto Alegre tem junto as sinaleras uma placa que diz: “Nunca tranque o cruzamento”. Bem, acho que o governo gosta de gastar dinheiro a toa, porque ninguém respeita a placa. Ai que entra o tema do post, o sujeito ta andando e a sinaleira fica amarela, puts, vai fechar, daí da aquela acelerada para passar ainda no amarelo, só que depois da rua está os carros parados, ou seja, ele vai ficar parado no meio da rua que cruza. Bem com isso a sinaleira vai ficar verde para os outros, que não conseguirão passar, pois vai ter um carro no meio do caminho, e possivelmente haverá outros dessa rua que vai trancar o cruzamento que vai impedir a passagem dos outros veículos...
Bem, assim começas a tranqueira em volta daquele cruzamento, tudo porque o cidadão não quis aguardar 30segundos, (que por sinal deve ser o tempo que fico parado trancando o cruzamento) e me tranca o caminho dos outros que estavam no seu direito de passar.

O cruzamento é um exemplo, mas existe muitas outras coisas que se parar para pensar, poderiam ocorrer muito mais tranqüilas se nós abdicarmos de poucas coisas, que não mudariam em nada para nós, mas ajudaria muito para o todo da comunidade. Outro exemplo é o lugar onde largamos o lixo, saímos jogando o lixo pela rua, entupindo Buenos e córregos, que no futuro causara uma enchente sem falar na poluição visual, o que custa carregar o papel de bala por mais 5 minutos na mão e largar em uma lata de lixo?

Como eu disse coisas pequenas, mas pensamos muito em nos mesmos, se pensarmos que nossos atos afetam a comunidade em si, e nós fazemos parte dessa comunidade, ou seja, vamos ser diretamente afetados pelos nossos atos, mas como citei no tópico anterior, “apenas um papel de bala não vai causar enchente”, é amigo, mas não é apenas você que joga esse papel de bala, muitos outros jogam.

Não conseguiremos mudar isso em um dia. Mas se começarmos a pensar nessas pequenas coisas que muitas vezes fazemos errado sem perceber, e nos fiscalizarmos, dar exemplo para outras pessoas, e ensinar aos nossos filhos esses conceitos, certamente teremos uma cidade ao menos melhor de se viver!

2 comentários:

Rodrigo Moraes disse...

É incrível o egoísmo hoje em dia. Esse fato do trânsito me lembrou quando eu pegava o T9 para ir pra aula e quando ele passava pelo entroncamento da Av. Nilo Peçanha com a rua Carazinho (próximo a praça da Encol)... Uma rotatória sem controle que agravada pelo engarrafamento dos horários de pico fica uma zueira. Se os viventes tivessem bom senso, a coisa até fluiria (pois falta uma atitude da EPTC em melhorar a rotatória). Mas convenhamos, acaba acontecendo o mesmo do outro post, que por 'economizar' alguns segundos gera um dano á terceiros, tudo por atitudes da correria (e selvageria) que é o nosso dia-a-dia...

Guilherme Mar disse...

Sim cara, é o mesmo assunto, tanto que no fim do primeiro post sobre o tema, eu falei que iria continuar ele no próximo!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails